Resenha: Social Killers - Amigos Virtuais, Assassinos Reais


Social Killers – Amigos Virtuais, Assassinos Reais
JJ Slate; RJ Parker
Editora DarkSide®
272 páginas, capa dura
Onde comprar: Amazon Submarino
*Exemplar cedido gentilmente pela DarkSide Books.

Quando a realidade pode ser muito mais assustadora que a ficção.

O conceito da palavra amigo mudou muito com o surgimento das redes sociais. Afinal você conhece, no sentido literal, todas as pessoas que são seus "amigos" nas redes sociais?
É como se o velho conselho dado por nossos pais na infância "não converse com estranhos" seja anulado porque simplesmente acreditamos que conhecemos realmente alguém depois que a solicitação de amizade é aceita.
Estamos protegidos em casa mas não temos ideia de quem esteja do outro lado da tela e quais são suas intenções ao se aproximar.
Em nossos perfis pessoais publicamos fotos com a localização exata de onde e com quem estamos, de nossa casa, placa do carro, etc. Até ai nada de mais se não fosse pelo fato dessa ferramenta que aproxima as pessoas ser usada também para cometer crimes.
Em Social Killers - Amigos Virtuais, Assassinos Reais o foco principal do livro foi mostrar vários casos onde as redes sociais foram usadas pelos criminosos para se aproximarem de suas vítimas e facilitarem suas ações.


Logo no inicio de cada caso é possível acessar imagens do mesmo com a leitura do código QR. Com a leitura desses códigos o leitor fica muito mais conectado com a narrativa.
Também em cada caso os autores traçam resumidamente o perfil dos mais diversos tipos de psicopatas como canibais, estupradores, sequestradores, assassinos e assassinos em série, pedófilos, e perseguidores. 
Algo que chama a atenção e pode servir de base para tentar descobrir a motivação desses indivíduos é o que a maioria tem em comum: uma infância ou adolescência conturbada. 
Entre as vítimas estavam pessoas em busca de trabalho, de um relacionamento ou apenas queriam trocar algo, outras depressivas e com tendências ao suicídio e algumas com desejos fora do padrão ao ponto de precisarem buscar na internet com quem pudessem se relacionar.
Os criminosos então se aproveitaram da necessidade e do descuido de suas vítimas para agirem e impressionam o leitor pelo alto grau de crueldade de suas ações. E não deixa de ser tão ou mais surpreendente alguns casos onde as próprias vítimas procuravam a morte.


A sensação aparente de proteção e anonimato no mundo virtual, tanto para os cidadãos comuns quanto para os criminosos, é algo que incentiva muito os crimes. Mas é aí que todos se enganam. Pessoas comuns deixam rastros por cada lugar que visitam na internet.
E esse é o assunto dos capítulos finais do livro que mostra o outro lado da moeda, quando a polícia usa a internet para se aproximar, recolher provas e prender bandidos.
Ao terminar a leitura sobre muitos crimes chocantes que variam entre o bizarro e o aterrador é impossível não pensar que poderiam ser evitados se as vítimas tivessem tomado mais cuidado e não confiado tão fácil em alguém que não conheciam.
Com isso é impossível não refletirmos também sobre o nosso comportamento nas redes sociais. Por isso Social Killers - Amigos Virtuais, Assassinos Reais é indicado para todos que usam a internet, e maiores de 18 anos, porque um pouco de precaução não faz mal a ninguém.

Nota: 4,5/5.

Enjoy! See you soon!

Resenha: Social Killers - Amigos Virtuais, Assassinos Reais Resenha: Social Killers - Amigos Virtuais, Assassinos Reais Reviewed by Evelyne V. Nami on 4.4.16 Rating: 5

3 comentários

Faça a alegria da blogueira que vos escreve: deixe um comentário sobre o post!!!

Post AD