Primeiras Impressões: HEX


Olá leitores. Quem acompanha as redes sociais da DarkSide Books sabe que eles divulgaram nos últimos dias vários lançamento incríveis para esse ano e que já entraram na minha lista de desejados. Entre esses lançamentos está HEX. E como a editora disponibilizou os três primeiros capítulos para leitura, fui conferir e trago para vocês minhas impressões iniciais do livro.

HEX
Thomas Olde Hebert
DarkSide Books
368 páginas - Ano 2018

Sinopse:

Toda cidade pequena tem segredos. Mas nenhuma delas é como Black Spring, o pacato vilarejo que esconde uma bruxa de verdade do resto do mundo. Os moradores sabem que não se deve mexer com ela. Assim como aconteceu com as bruxas de Salem, Katherine Van Wyler foi condenada à fogueira. Mas a feiticeira sobreviveu e continua rondando a cidade, mais de trezentos anos depois.
Com costuras em seus olhos e correntes nos braços, Katherine aparece nos lugares mais improváveis quando bem entende, sussurrando a morte para quem chega perto o suficiente para ouvir. Assim como a Morte Vermelha, de Edgar Allan Poe, ela enfeitiçou a alma da cidade de forma que escapar não é uma opção: quem se afasta demais tem a mente invadida por pensamentos suicidas, e muitos não retornam para contar a história.
Os habitantes de Black Spring controlam os passos da bruxa 24 horas por dia através do hexapp, um aplicativo de celular desenvolvido especialmente para garantir que a bruxa não seja revelada para os Forasteiros. A vigilância constante aumenta o clima de paranoia na cidade, enquanto um grupo de adolescentes desafia as regras e resolve provocar a bruxa para ver se ela é tão perigosa quanto dizem.

Vivendo em uma aparente normalidade os habitantes de Black Springs convivem com as aparições da bruxa Katherine Van Wyler. Mesmo ela tendo os olhos e a boca costurados e os braços presos a correntes, quem vive preso a cidade são seus moradores. Eles precisam manter a existência da bruxa em segredo para o resto do mundo e quando saem da cidade são forçados a voltarem antes que percam a sanidade. Por isso percebemos a frustração de alguns personagens que estão limitados a viverem ali.



Às vezes, você faz sacrifícios por causa de Black Spring.


Conhecemos parte da rotina de Black Springs que inclue uma equipe que trabalha na proteção desse segredo macabro. Eles tentam evitar que pessoas se mudem para lá e criam distrações para as aparições de Katherine em locais públicos. Para isso eles contam com o hexapp, um aplicativo criado para que os moradores informem a localização da bruxa, que funciona em conjunto com várias câmeras monitoradas por toda cidade.

Nesses primeiros capítulos já é possível ver personagens bem construído e uma constante atmosfera de tensão na cidade, que convive com a bruxa sem se aproximar e nem se afastar muito dela. A maldição controla totalmente suas vidas.   
Um dos grandes atrativos da história é associação muito inteligente que o autor faz de elementos do passado e presente.

Agora fiquei muito mais curiosa para saber o que aconteceu com Katherine no passado e até quando os moradores conseguirão manter essa legítima lenda urbana presa nos limites da cidade. Mas precisamos esperar até março para desvendar todos os segredos de Black Springs.
Nota até a página 40: 4/5.




Primeiras Impressões: HEX Primeiras Impressões: HEX Reviewed by Evelyne V. Nami on 26.2.18 Rating: 5

Nenhum comentário

Faça a alegria da blogueira que vos escreve: deixe um comentário sobre o post!!!

Post AD